sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Ano novo, header nova! (2018 Edition)

Ao que parece, está se tornando um costume eu mudar a header do blog a cada ano, para uma temática que eu gosto.

Em 2016, meu blog "vestia" o tema de Stranger Things. Curiosamente, eu não gosto nada da série. Assisti aos dois primeiros episódios, sentindo vontade de morrer no segundo. Mas a tipografia foi algo que eu curti demais, então decidi colocar meu nome no estilo do nome da série.

Ficou assim:


Eu já disse anteriormente que, acidentalmente, essa header casou perfeitamente com o ano de 2016. Foi péssimo, terrível num nível insuportável. A depressão me consumiu, a ansiedade se aproveitou. Isso tudo ficou pra trás.

No mesmo fatídico ano, conheci Star Wars. Todo mundo me falava sobre. Todo mundo me recomendava. Eu não entendo, até hoje, porque demorei tanto tempo para assistir aos filmes.

Star Wars hoje tem um espaço reservado no meu coração. Considero a melhor obra cinematográfica de ficção científica. Todos os personagens me conquistaram. A abertura dos filmes me causa arrepio, e eu adoro escrever sinopses de histórias no mesmo formato, com as letras subindo.

E, por conta de Star Wars, o tema do blog em 2017 foi sobre a série. Utilizando-me da fonte do logo, escrevi meu nome, mas criei um efeito de distorção, para justamente criar a ideia do texto subindo. Na verdade, teve um significado a mais, representando o grande passo que eu estava dando em frente, ao ter feito as escolhas que hoje me colocam onde estou. Para o infinito do espaço...

E esse era o tema de 2017:


... Já em 2018...

Após um ano incrível que foi 2017, e que eu irei falar sobre numa postagem futura, 2018 chega para mim. Minha única resolução para este ano é a de manter meus dois blogs atualizados. Sim, isso confirma o retorno de Nick Felix (que, ao que parece, será semanal, o que, consequentemente, me fará ter de desenhar 52 páginas por ano).

Em 2018, a primeira aquisição que realizei foi a coleção completa de Death Note, um dos melhores mangás japoneses e, obviamente, um mangá que está no meu Top 3 (ao lado de Blade: A Lâmina do Imortal e Yu-Gi-Oh!). A JBC relançou Death Note no seu formato Black Edition, que compila dois volumes em um.

Curiosamente (novamente), eu nunca terminei de ler Death Note. Li apenas o primeiro volume (Black Edition, que compila os volumes 1 e 2 japoneses), como comentei na postagem onde falava sobre ter comprado a coleção. Mesmo assim, apenas com todo o suspense, história e criatividade dos autores que aparece neste primeiro volume, eu fiquei extremamente apaixonado pela série.

A header desse ano tem como tema Death Note. Meu nome, dessa vez, tem letras tortas, como o logo do mangá. O significado, entretanto, é porque eu estou numa fase de redescobrimento. Por isso as letras não estão em pé, mas sim giradas, refletidas.

Estou numa busca de quem é Lucas Cristovam.

Esta é a minha header para todo o ano de 2018:


Mantenham-se comigo nesse ano, pessoal! Eu espero trazer muitas notícias boas a todos.

Abraços e até amanhã!

(Para amanhã, já decidi que preciso urgentemente falar sobre Origem, livro lançado em 2017 pelo Dan Brown, Top 3 dos meus autores favoritos. Se eu não falar, vou acabar surtando!)

Nenhum comentário:

Postar um comentário